Área Restrita

Curso de Psicologia promoverá o 2º Projeto Acolher

18/10/2016
Notícias
Graduação

 

 

Com data marcada para o dia 26 de novembro, às 16h no Campus II da UNIJIPA, o curso de Psicologia realizará a segunda edição do “Projeto Acolher: A Ciência do Início da Vida”. O encontro trata de questões relacionadas a maternidade em geral, acordando tópicos como a gravidez, parto e demais temas relacionados, incluindo oficinas de arteterapia, palestras e vivências. Estão convidadas as alunas e as gestantes, aberto para toda a comunidade.

A GRAVIDEZ - A gravidez é o estado de desenvolvimento de um embrião ou feto dentro do corpo feminino. Para que uma mulher engravide, é necessário primeiro que ocorra a fecundação, ou seja, o encontro bem sucedido entre espermatozoide e óvulo e a união dos cromossomos, criando uma célula chamada zigoto. Apenas quando o zigoto – após divisões sucessivas – alcança o endométrio (o revestimento interno do útero) é que ocorre a gravidez. Implantado no útero, o zigoto passa a se chamar embrião, começando a produzir gonadotrofina coriônica humana (hCG) – o “hormônio da gravidez”, responsável por impedir a destruição do revestimento uterino que levaria ao aborto. É o começo de uma longa etapa, marcada por muitas mudanças no corpo da gestante e do pequeno ser que está dentro dela.Uma gravidez normal dura em média 40 semanas. No primeiro trimestre, os seios da mulher ficam maiores e mais sensíveis. Ela fica mais cansada, sente mais sono e urina com mais frequência. Placenta e saco amniótico se formam nas primeiras oito semanas, respectivamente nutrindo o embrião com sangue materno por meio do cordão umbilical e evitando impactos perigosos ao desenvolvimento do bebê. No fim do primeiro mês, todos os órgãos já estão formados. No fim do segundo mês, com ouvidos, olhos, genitais, dedos das mãos e dos pés formados, o embrião começa a se mexer.


“Encara a relação com a criança prezando o afeto e o vínculo, saindo do senso comum e propondo discutir temas quase polêmicos ou desconhecidos. Abordaremos assuntos que saem do eixo tradicional do público de gestantes e mães, convidando todos a uma grande reflexão sobre um mundo de possibilidades, ou a ausência delas, e como isso potencializa e modifica nossas crianças e nossos relacionamentos com ela, com todos e com a gente mesma. Falaremos sobre o mundo que criamos para os nossos filhos e o poder de mudança que essa criança poderá ter no futuro, como agente transformador da nossa sociedade. O empoderamento materno tem um grande valor. Quando se compreende que somos responsáveis pelas nossas escolhas, tomamos consciência das nossas limitações e dos instrumentos para fortalecer nossas potencialidades.”, finalizou a Coordenadora do curso de Psicologia, Rosângela Martins Vieira.

 

Fonte: IG Saúde

 

 

 

Veja Também

27/03/2012
Institucional

orientacao-profissional-e-fundamental

  O que é melhor: fazer o que se gosta ou o que paga mais? Ao procurar uma oportunidade no mercado de trabalho, a maioria dos candidatos parte em busca de um sonho: o de conseguir um emprego que não apenas satisfaça profissionalmente, mas que também atenda às suas necessidades financeiras. Contudo, nem sempre atender a ambos o requisitos é possível, o que torna a procura ainda mais complicada.   E, se realizar esse desejo já é complicado demais, o que seria mais aconselhável, então? Fazer aquilo que se gosta ou escolher um emprego que pague um salário melhor?   De acordo com a consultora de Planejamento de Carreira da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Karla Mara Alves...

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem