Área Restrita

Dicas para turbinar a sua redação

26/02/2015
Notícias
Institucional

Imagine que você está em uma livraria. Na hora de procurar um livro para comprar, quais fatores você leva em conta? A capa e o nome com certeza fazem toda a diferença na hora de julgar se aquele livro é ou não bom, ou se te deu vontade de ler. Com a redação também é assim: o título é o responsável por chamar a atenção do leitor e resumir o assunto do qual ele trata.

 

Apesar de importante, algumas provas de redação não pedem título – caso do Enem, em que ele é opcional. Outras, como a Fuvest, exigem o título, mas nesses casos a exigência é sempre colocada na proposta (não precisa sair decorando quais provas pedem e quais não pedem).Obrigatório ou não, o título pode ser o diferencial no seu texto. Se você souber fazê-lo e ficar bem colocado no texto, é recomendável o uso, mesmo que ele não seja exigido pela prova. Veja cinco dicas sobre o que é importante saber sobre esse recurso:


1) O título é a síntese do tema

Se o nome de um livro ou de um filme deve entregar um pouco do que será tratado naquela obra, com o título da redação é a mesma coisa: ele deve sintetizar o que o leitor vai encontrar ao longo do texto. Além disso, um título bem trabalhado pode fazer o corretor notar que você entendeu perfeitamente a proposta. Por isso, use a simplicidade e faça um título em que o tema fique claro.

 

Dica: Algumas pessoas preferem fazer o título antes do texto, para servir como guia. Mas nem sempre isso dá certo: pode ser que, ao longo do texto, você acabe mudando o foco e o título perca um pouco do sentido. Para evitar que isso aconteça, uma sugestão é fazer o título sempre depois que o texto estiver pronto. Assim, você pode se basear nele para definir exatamente qual frase encaixa mais com o que você escreveu.

 

 

2) Nada de frases longas

Primeira regra para fazer um bom título: ele deve ser curto! Procure usar no mínimo três palavras, e evite que o tamanho da frase seja maior do que metade da linha.

 

3) O verbo é opcional

O título não precisa ser, necessariamente, uma oração completa com sujeito e predicado, como “O desmatamento é o pior crime contra a natureza”. Pode, também, ser uma expressão sem verbo, como “O problema da reforma agrária”. Mas usar a expressão, apesar de resolver o problema do título longo, pode ser perigoso: é preciso que ela consiga sintetizar o tema,mesmo sem o verbo. Na dúvida, aposte no que parecer mais fácil na hora.

 

Lembrete: Jamais use o tema dado pela banca como título. O tema é o assunto estipulado pela banca sobre o qual você vai escrever; o título é a frase para encabeçar o seu texto, que você mesmo deve criar. Fique atento, copiar qualquer parte da proposta de redação pode provocar a anulação do texto!

 

 

4) Aposte na sua criatividade

É importante que o título deixe claro o que você vai abordar, mas usar da criatividade pode deixá-lo muito mais interessante para a banca corretora. Nada impede que você use figuras de linguagem ou mesmo uma citação (entre aspas, sempre) no título. Mas lembre-se que a simplicidade é fundamental: tentar rebuscar demais pode dificultar o entendimento da frase.

 

Dica: fuja de lugares-comuns, chavões, frases prontas e gírias. Usar da criatividade é o oposto disso.

 

 

5) Ponto final, letras maiúsculas, linha em branco

 

- Pode usar ponto no fim da frase? O título normalmente não tem ponto, mas, se for uma oração, você pode usar o ponto final. Se for uma expressão sem verbo, não.

 

- Devo usar letra maiúscula em todas as palavras? Não. Escreva o título como se estivesse escrevendo uma frase normal, usando a maiúscula apenas em palavras que a exijam, como nomes próprios.

 

- Devo pular uma linha depois do título? Depende. Pular a linha deixa o texto esteticamente melhor – mais bonito, digamos. Mas não é obrigatório, especialmente se o limite de linhas for pequeno.

 

Consultoria:

 

- Dez passos para a redação nota dez

 

Sérgio Vieira Brandão

 

Editora Artes e Ofícios

 

No related posts.

 

Fonte: Guia do Estudante

 

Veja Também

05/05/2011
Institucional

avaliacao-institucional

A Comissão Própria de Avaliação (CPA), constituída pela Direção Geral da Faculdade Panamericana de Ji-Paraná, com base na Lei nº 10.861/2004, que instituiu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) é responsável pela elaboração, implementação e condução do plano de trabalho de auto-avaliação, visando identificar o perfil e o significado da atuação da Faculdade na região de Ji-Paraná de modo a promover a melhoria da qualidade de educação superior. Tais orientações e instrumentos propostos para a auto-avaliação fundamentam-se, na Lei de Diretrizes e Bases (9.394, de 20.12.96), nas Diretrizes Curriculares de cada curso oferecido pela IES, no...

15/10/2014
Graduação

Dia do Contador é celebrado com palestra do Dr. José Carlos Marion

Com organização da Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (UNIJIPA), Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) e UNOPAR, juntamente com o Conselho Regional de Contabilidade de Rondônia, foi realizada a palestra “Contabilidade – Uma Profissão Fascinante”, ministrada pelo Prof. José Carlos Marion nas dependências do Espaço Partenon em Ji-Paraná. O evento teve início as 19h30 e contou com diversas autoridades do campo educacional.

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem