Área Restrita

MEC seleciona representantes para comissão escolar indígena

27/07/2015
Notícias
Institucional

 

O Ministério da Educação (MEC) procura representantes do Rio de Janeiro, de São Paulo e do Rio Grande do Sul para participar da Comissão Nacional de Educação Escolar Indígena. O prazo de inscrição vai até o dia 31 de julho e pode ser feita por e-mail ou pelos Correios.

 

Podem participar da seleção organizações indígenas que atuam com os povos nos territórios em que eles habitam. São considerados todos os povos indígenas que moram em terras localizadas nesses estados, ainda que parcialmente, independentemente da existência de processo de reconhecimento de terra indígena em órgão oficial.

 

Os representantes e as organizações indígenas por eles representados assumirão a responsabilidade de estabelecer diálogo permanente com os diversos povos indígenas localizados em seu respectivo estado ou região.

 

A comissão é um órgão colegiado de caráter consultivo, criado em 2009, para assessorar o MEC na formulação de políticas para a educação escolar indígena. A comissão reúne representantes governamentais, da sociedade civil e dos povos indígenas.

 

Mais detalhes no edital.

 

Fonte: Agência Brasil

 

 

Veja Também

11/12/2014
Graduação

Prêmio “I Destaque Empresarial” destaca comunidade empreendedora

Uma ação conjunta entre a Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (UNIJIPA), a empresa Unijipa Júnior e os acadêmicos do curso de Administração da instituição prestigiaram empresas locais com o prêmio Destaque Empresarial. A cerimônia aconteceu ontem (09), nas dependências do auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas de Ji-Paraná (CDL), entidade apoiadora da iniciativa. A premiação contou com a presença dos empresários homenageados, acadêmicos, imprensa e do Diretor Geral do Athenas Grupo Educacional Profº. Drº. Aécio Alves Pereira. A organização do evento contou com o trabalho dos acadêmicos e integrantes da Unijipa Júnior.

12/05/2015
Institucional

Em 200 anos, português `brasileiro` pode se tornar língua autônoma; entenda

A possibilidade de ser simples, dispensar elementos gramaticais teoricamente essenciais e responder “sim, comprei”, quando alguém pergunta “você comprou o carro?”, é uma das características que conferem flexibilidade e identidade ao português brasileiro. A análise de documentos antigos e de entrevistas de campo ao longo dos últimos 30 anos está mostrando que o português brasileiro já pode ser considerado único, diferente do português europeu. O português brasileiro ainda não é, porém, uma língua autônoma: talvez seja – na previsão de especialistas, em cerca de 200 anos – quando acumular peculiaridades que nos impeçam de entender inteiramente o que um nativo de...

07/05/2015
Institucional

Tecnologias estão mais presentes nas salas de aula na América Latina

No lugar do lápis e do caderno, os tablets e os smartphones aparecem cada vez mais nas salas de aula de diferentes países da América Latina. Pesquisadores apontam que este fenômeno estaria em seu impulso definitivo e que até poderia ser chamada de uma revolução tecnológica. Porém, tamanho aumento tem demonstrado carências e deficiências que a região ainda enfrenta. Entre os mais variados lugares, há iniciativas promissoras e inovadoras, mas o impacto das tecnologias no processo de aprendizagem ainda é um desafio sem resultado concreto.

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem