Área Restrita

Técnicas de memorização ajudam no estudo; confira 10 dicas para estimular sua memória

11/08/2015
Notícias
Institucional

 

Você já pensou em por que nós nunca esquecemos coisas que aprendemos quando criança? O ser humano aprende, preferencialmente, pela repetição. A criança repete o que os pais falam, o que os pais fazem, as músicas e os gestos.

 

Mas na hora do estudo, a repetição para decorar o material didático não é a melhor fórmula. “Decoreba funciona? Sim! Muitos alunos passam de ano decorando. É a melhor estratégia? Não! Perde-se tempo e confiança no processo”, considera Renato Alves, preparador mnemônico e autor do livro “Não Pergunte se Ele Estudou - Como Desenvolver nos Filhos o Interesse e a Motivação nos Estudos”.

 

“É possível acelerar em até dez vezes o aprendizado utilizando ferramentas simples de memorização e pequenas mudanças de hábitos na rotina do aprendizado”, completa.

 

O ERRO MAIS COMUM - “O estudante quer absorver todo o conteúdo numa leitura só. A leitura de um texto implica em uma segunda leitura. Essa releitura é que faz o aluno fixar o aprendizado. O erro mais comum é a falta de paciência”, aponta Alves

 

O tempo para o estudante esquecer aquela informação é, em média, de três segundos, por isso um aluno que estudou o conteúdo superficialmente esquece rápido aquilo que leu.

 

Usar estratégias mnemônicas na hora do estudo estimula o aprendizado e faz com que o indivíduo guarde aquele conteúdo na memória por mais tempo, seja por três semanas ou para o resto da vida.

 

Elyzabeth Caetano, 34, gestora de recursos humanos, diz que os métodos de memorização ajudaram na hora de realizar a segunda graduação na universidade.

 

“Entrei com duas semanas de atraso na faculdade e, naquela semana, haveria uma prova de direito previdenciário. Eu não dominava o assunto e tinha uma apostila de 80 páginas para estudar. Aprendi a técnica de resumo e fichamento e isso me ajudou a realizar uma leitura mais rápida e objetiva e reter o conteúdo em um curto período”, conta.

 

 

      

 

 

Então, vamos as dicas! :D

 

1) Para consolidar o aprendizado, "em sala de aula o aluno deve ser curioso, fazer perguntas, abordar o professor e sair sabendo o conteúdo", explica Renato Alves, preparador mnemônico.

 

2) Reler e pesquisar o conteúdo que foi passado na aula naquele dia ajuda na hora da aprendizagem.

 

3) "Uma vez que você assistiu aula e leu um livro, você vai fazer a confirmação e jogar isso para a memória e, mentalmente, repassar o conteúdo. Submeter o conteúdo às nossas três memórias: a memória visual (que fazemos relação com imagens), a auditiva (ler em voz alta, por exemplo) e sinestésica (contar aquilo com gestos e movimentos) é uma ótima forma de estimular a memória", diz o especialista.

 

4) Ler e reler são importantes estratégias para a memorização. "A primeira é superficial, apenas ajuda a preparar a memória; já a releitura dá início à fixação do conteúdo", afirma o treinador mnemônico Renato Alves.

 

5) A concentração é uma função do cérebro que precisa de estímulo. Quanto mais estímulo existir entre aluno e fonte maior o grau de concentração. Sentar-se na primeira fileira da sala, por exemplo, é um bom incentivo à concentração.

 

6) O cansaço atrapalha na hora da memorização. "Melhor do que lutar contra o sono, é descansar. O resultado é sempre melhor quando mente e corpo estão descansados", afirma o treinador mnemônico Renato Alves. Mas se não tiver jeito de dormir, uma dica é o estudante ler de pé. "Isso inibe o sono", comenta o especialista.

 

7) Dormir bem à noite ajuda a consolidação de tudo o que foi aprendido durante o dia. O ideal seria que o indivíduo dormisse, pelo menos, oito horas por noite. A alimentação também não pode ficar de lado: quando o estudante pula uma refeição, o metabolismo é reduzido e ele perde a concentração.

 

8) Durante a leitura, o aluno deve resistir à ideia de marcar o texto. "Primeiro, é melhor explicar para ele mesmo cada trecho do texto sobre o que o texto fala e só após entender o conteúdo, fazer anotações", afirma o especialista Renato Alves.

 

9) Resumos e fichamentos são poderosos argumentos para a memória. "O ideal é o aluno prestar atenção, fazer a confirmação e, depois de explicar o conteúdo para si mesmo, ele pode escrever", afirma Renato Alves. O método deve ser "aula-cérebro-papel".

 

10) O aluno deve abusar de simulados. Testes ajudam a criar memória de longa duração. "Quando o aluno faz e refaz exercícios, cria memória de longo prazo. Isso inibe a insegurança na hora de uma prova, por exemplo.".

 

Fonte: UOL Educação

 

Veja Também

21/05/2018
Graduação

Acadêmicos da Unijipa participam de projeto de Extensão na Guarda Mirim

Desde Abril, os cursos de Engenharia Ambiental e Farmácia da Unijipa firmaram parceria para colocar em prática o Projeto de Extensão “Atenção Farmacêutica e Educação Ambiental na Guarda Mirim”. O grupo de acadêmicos é composto por: três acadêmicos do 3º período de Farmácia e dois do 5º período de Engenharia Ambiental, além dos professores e coordenadores de curso, Alexandre Zandonadi e Caroline Klein Maranho. O projeto será realizado até julho, na Guarda Mirim de Ji-Paraná.   Durante esse período, o grupo irá abordar...

04/12/2017
Institucional

Vestibular agendado: como funciona?

No processo seletivo 2018.1, a Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (Unijipa) modernizou e ampliou as formas de ingresso para seus futuros alunos, trazendo para a região a forma mais atual de processo seletivo. Agora os interessados em ingressar na Unijipa podem agendar suas provas através do site www.vestibularunijipa.com.br, para a data e o horário que for mais cômodo, de segunda a sexta-feira entre 15h30 e 19h30, e sábado das 9h às 13h, exceto domingos e feriados.   Ao comparecer na instituição para realizar o vestibular agendado, o candidato será recebido por uma equipe especializada e poderá fazer...

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem