Área Restrita

Governo recua em projeto que estabelece igualdade salarial

09/03/2012
Notícias
Institucional

 

O governo recuou da ideia de sancionar o projeto de lei que pune as empresas que pagarem salário menor para as mulheres contratadas para a mesma atividade realizada por empregados homens.

 

Na quarta-feira, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) anunciaram a decisão de aprovar a proposta no plenário nesta quinta-feira, deixando tudo pronto para a presidente Dilma Rousseff sancioná-la na próxima terça-feira, no Senado, numa solenidade alusiva ao Dia Internacional da Mulher, comemorado hoje, dia 8 de março.

 

O clima era outro nesta quinta-feira e, em vez de incluir a proposta na pauta de votações, Jucá assinou um requerimento encaminhando o projeto para Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). A informação que se tem é que empresários de todo o País reagiram contra a proposta alertando que, na contramão da ideia, poderia resultar na redução de vagas para mulheres no mercado de trabalho.

 

O projeto de iniciativa do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que acrescenta um parágrafo no artigo 401 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), prevê que o empregador que remunerar de maneira discriminatória o trabalho da mulher a menos do que o do homem, estará sujeito ao pagamento de multa em favor da empregada correspondente a cinco vezes a diferença verificada em todo o período da contratação.

 

O texto não faz referência a valores decorrentes da experiência do empregado e do tempo de serviço. Deixa ainda desprotegido o trabalhador homem que for contratado nas mesmas condições previstas para as mulheres por um salário menor. O texto foi aprovado em decisão terminativa na Comissão de Direitos Humanos (CDH) na última terça-feira e ainda está em fase de recebimento de recursos - de cinco dias - para ser considerada aprovada, sem ser votado no plenário. ou da ideia de sancionar o projeto de lei que pune as empresas que pagarem salário menor para as mulheres contratadas para a mesma atividade realizada por empregados homens.

 

Na quarta-feira, o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) anunciaram a decisão de aprovar a proposta no plenário nesta quinta-feira, deixando tudo pronto para a presidente Dilma Rousseff sancioná-la na próxima terça-feira, no Senado, numa solenidade alusiva ao Dia Internacional da Mulher.

 


O clima era outro nesta quinta-feira e, em vez de incluir a proposta na pauta de votações, Jucá assinou um requerimento encaminhando o projeto para Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). A informação que se tem é que empresários de todo o País reagiram contra a proposta alertando que, na contramão da ideia, poderia resultar na redução de vagas para mulheres no mercado de trabalho.

 

O projeto de iniciativa do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que acrescenta um parágrafo no artigo 401 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), prevê que o empregador que remunerar de maneira discriminatória o trabalho da mulher a menos do que o do homem, estará sujeito ao pagamento de multa em favor da empregada correspondente a cinco vezes a diferença verificada em todo o período da contratação.

 

O texto não faz referência a valores decorrentes da experiência do empregado e do tempo de serviço. Deixa ainda desprotegido o trabalhador homem que for contratado nas mesmas condições previstas para as mulheres por um salário menor. O texto foi aprovado em decisão terminativa na Comissão de Direitos Humanos (CDH) na última terça-feira e ainda está em fase de recebimento de recursos - de cinco dias - para ser considerada aprovada, sem ser votado no plenário.

 

 

 Fonte: O Estadão/ PME

 

 

alt

Veja Também

Pós-Graduação

Gestão, Orientação e Supervisão Escolar

Objetivos do Curso: Preparar o profissional para atuar em Orientação Educacional, Gestão e Supervisão Escolar para que possa através de critérios técnicos analisar, planejar e executar ações que promovam o desenvolvimento pleno do educando, nos aspectos cognitivo, social e intelectual, facilitando a aquisição dos conteúdos para a construção do conhecimento sistematizado e promovendo a integração social com toda a comunidade escolar, criando consciência crítica, sociabilidade e urbanidade. Público Alvo: Pedagogos e profissionais graduados nas demais áreas que atuem em atividades correlatas.        CRONOGRAMA  ...

13/12/2011
Institucional

formatura-de-academicos-da-unijipa-recebe-ilustres-e-presta-homenagem

Na última sexta-feira (9), no salão do Clube mediterrâneo, foi realizada a Cerimônia de Formatura dos acadêmicos da Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (UNIJIPA). No total, 65 acadêmicos receberam seus diplomas, sendo 33 deles do curso de Ciências Contábeis, 18 de Administração e 33 de Pedagogia.   Na última sexta-feira (9), no salão do Clube mediterrâneo, foi realizada a Cerimônia de Formatura dos acadêmicos da Faculdade Panamericana de Ji-Paraná (UNIJIPA). No total, 65 acadêmicos receberam seus diplomas, sendo 33 deles do curso de Ciências Contábeis, 18 de Administração e 33 de Pedagogia.   A formatura marca a continuidade no ciclo de graduações da Unijipa,...

12/12/2012
Institucional

brasil-e-franca-firmam-parceria-de-concessao-de-bolsas-de-estudo

  Acordo visa ampliar as bolsas concedidas para estudantes dos dois países   Os governos do Brasil e da França vão ampliar a parceria para a concessão de bolsas de estudo para gradução e pós-graduação. Um memorando de entendimento será assinado hoje (11) pelos presidentes Dilma Rousseff e François Hollande (França), em Paris. Pelo acordo, em três anos, a França deverá receber cerca de 2 mil estudantes – nos níveis de doutorado e pós-doutorado. A ideia é que os estudantes de doutorado e pós-doutorado tenham condições de optar por três modalidades de bolsas - doutorado-sanduíche, doutorado pleno e estágio pós-doutoral. As condições de envio e recepção...

Comentários

CAPTCHA Image
Recarregar Imagem